voltar

OLHE A SUA VOLTA

  A desconfiança entre os seres humanos cresce a cada dia. Essa forma de pensar tem gerado o isolamento, onde cada um tenta seguir seu caminho sozinho, se achando auto-suficiente, procurando olhar apenas para si mesmo, para seus próprios problemas. Porém, essa atitude está tornando o homem cada vez mais egoísta, esquecendo-se que amanhã poderá ser ele o necessitado.
  A humanidade está caminhando contrário aos ensinamentos os quais os Grandes Mestres nos deixaram, quando aqui estiveram no plano da Terra. A fraternidade, a irmandade, poucos são os que a praticam, a não ser quando ocorrem as catástrofes. Neste momento não existem classes sociais, pois todos são iguais, ricos e pobres, brancos e negros, todos juntos na dor. O que predomina é à busca da sobrevivência e o que é inerente dentro de cada um de nós, eclode, sobrepondo o egocentrismo, auxiliando a quem necessita. É o amor!
  Para as consciências se tornarem mais fraternas não haveria necessidade de passarem por esta experiência tão dolorosa, porém o egoísmo, a ganância e o orgulho têm levado muitos pelos caminhos contrários.
  Precisamos praticar o gesto da cooperação, começando em nossos lares e ampliando cada vez mais. Desta forma passaremos a ter uma visão mais global, deixando de pensar só em nós mesmos ou naqueles que amamos. Não é porque estamos bem que não podemos orar pelos que estão passando por momentos de dificuldades ou estender a mão para alguém mais necessitado.
  Cada um de nós é um elo de uma grande corrente. Essa corrente quando está unida forma o Todo, a Unidade e enquanto o homem estiver pensando em si mesmo, não poderá viver em um planeta harmonioso, pois é como se a corrente estivesse quebrada. Precisamos aprender a nos colocar no lugar de quem está passando por dificuldades, pois desta forma poderemos nos confraternizar, não importando cor, classe social ou muito menos religião, pois todos somos irmãos.
  Quantos não são os lares onde não se sabe nem o que se passa com as pessoas mais chegadas.
  Não há diálogo e a correria do dia a dia faz com que cada um olhe para si mesmo, não percebendo que ao seu lado, seu ente querido se encontra em depressão, precisando apenas de alguém para lhe escutar.
  A fraternidade, o amor ao próximo são atitudes que nos fazem sermos dignos de sermos chamados filhos de Deus e quem ainda vive para si próprio deve analisar e perceber que sempre haverá algo que poderá fazer por alguém ou até mesmo por um animal, que também é criatura de Deus.
  Quando começarmos a olhar mais para os lados, perceberemos que o nosso problema não é tão grande assim e essa atitude nos trará forças para podermos superar os obstáculos.
  Parar de olhar somente para o próprio umbigo é um gesto de todo ser que se diz cristão.

APARECIDA

voltar