voltar

A ENERGIA QUE NOS ALIMENTAMOS

  Estamos vivenciando uma fase no planeta, onde falar em energia já se tornou comum, tanto no dia a dia das pessoas, como até mesmo na mídia, onde são passadas algumas técnicas baseadas em terapias energéticas voltadas à busca do equilíbrio físico e espiritual.
  Cada dia que se passa isso se torna mais comum, pois as pessoas através de experiências próprias podem perceber que dependendo daquilo que dão como alimento ao seu ser interno, isso os tornará mais ou menos saudáveis.
  Alimento? Sim, alimento, pois nós nos alimentamos também de energia que são nossos pensamentos, sentimentos e emoções, que apesar de não podermos enxergar, como o ar que respiramos que não enxergamos, mas que não podemos viver sem ele, podemos sentir o mal ou o bem-estar dependendo do que tivermos nos nutrindo. Um sentimento, apesar de não enxergamos essa energia, podemos senti-la, pois quando passamos por situações que nos deixam magoados, podemos sentir o coração oprimido.
   Porém, isso não fica apenas no mal-estar. A energia espúria acaba somatizando em algum órgão que esteja mais frágil, trazendo problemas de saúde e muitas vezes dependendo do tempo que se alimentou dessa energia espúria, problemas bastante sérios poderão ocorrer.
  A medicina hoje, bem mais avançada, tenta conscientizar as pessoas da importância do espírito, mente e corpo estarem em harmonia, pois já se sabe que o resultado do desequilíbrio só trará malefícios à consciência.
  Outra atitude que se faz perder energia no dia-a-dia de cada um é não aceitarmos as pessoas, os acontecimentos do jeito que são e tentarmos convencer que a nossa maneira de ser é a melhor.
  Essas atitudes geram conflitos internos e pensamentos de baixa vibração, levando muitas vezes o ser à depressão.
  Se formos analisar o nosso dia-a-dia, quanta energia se gasta com besteiras e no final podemos fazer uma avaliação. Estou exausto! E o pior, não se consegue mudar ninguém, a não ser que ela mesma tome consciência e perceba o que é melhor para ela.
  Outra atitude que também nos prejudica é fazermos algo de má vontade, pois sempre que há atrito, há também perda de energia, ao contrário quando fazemos algo que gostamos não sentimos nem o tempo passar, pois fazemos com amor e a energia do amor nos enche de satisfação, trazendo saúde e bem-estar.
  Assim como podemos escolher o alimento físico que comemos, podemos também podemos escolher qual o alimento energético que estamos dando a nossa alma. Com certeza, dependendo da escolha, o bem-estar interno se refletirá num corpo mais saudável e numa qualidade de vida muita mais gratificante. Porém, para isso é necessário estarmos sempre vigilantes do que estamos nos alimentando.
  Assim já disse o Mestre Jesus: “Orai e Vigiai”.

APARECIDA

voltar