voltar

OPORTUNIDADES PERDIDAS

  A maior parte de todos os descaminhos do ser, encontra-se em sua falta de capacidade de abalizar o quanto suas ações podem trazer-lhe problemas no presente, como também reservar dissabores para o futuro.

  Se todos pudessem analisar a conseqüência de seus atos impensados no mesmo momento em que eles ocorrem, com certeza grande parte dos desentendimentos entre seres humanos, seriam extintos ou até nem aconteceriam.

  O orgulho e a insensatez provocam mais desunião do que propriamente o ciúme, sentimento mesquinho de apego e descontrole emocional.

  Saber-se dono de condições que podem acarretar situações conflitantes, tornar-se o mais vigilante possível e em meditação e oração, tentar buscar o equilíbrio interno é imprescindível.

  Nada é propriedade do homem. Tudo o que ele tem são empréstimos, ferramentas para sua própria evolução e se acaso isso não é compreensível, basta apenas meditar na situação em que ele vem para o plano físico. Nasce sem nada, morre e não carrega nada consigo, apenas a sua bagagem espiritual, que o acompanhará por toda a eternidade.

  Não há como poder estressar-se com mal-entendidos do quotidiano, pois isso são pequenas migalhas que fazem parte de um banquete espiritual, situações que não fazem parte do contexto da evolução humana. Contratempos são levados apenas porque linhas da encarnação de uns, cruzam pelas de outros, sendo apenas passagens, enquanto a vida prossegue para cada um.

  A meditação é importantíssima na questão “relacionamentos”, pois torna-se aberto e entendível àquele que compreendeu que os pequenos distúrbios que exteriorizam o plano de evolução de cada ser, são momentos supérfluos, como uma conversa que não tem nenhum fundamento de crescimento para o homem.

  Prolongar-se nessas estações é perda de oportunidades e tempo precioso, que poderão fazer falta na apresentação de resultados na encarnação atual e o que é pior, não avançar na trilha da evolução.

  Onde houver atrasos por falta de consciência da realidade da vida, certamente no futuro haverá também arrependimento, de não ter sabido controlar-se, como também não saber trabalhar com tais situações.

  Os momentos de meditação servem para analisarmos o quanto tem dado importância para pequenas coisas que se quer estão no contexto de nossa encarnação e que devemos antes de tudo ser conscientes da missão que temos como base “ evoluir ”.


UM GUARDIÃO – ITATINS /JURÉIA

Canal - José Roberto Gomes

voltar