voltar

ENERGIAS DA CRIAÇÃO

  A força que move a natureza envolve a todos em igual proporção. Suave brisa que refresca a face dos que por um sentimento sutil, que brota do âmago do ser, faz perceber que a tudo Essa Força permeia e envolve.

  Esse sentimento certamente também é inerente a todos os seres dos reinos, que fazem parte do Cosmos.

  No plano terreno cada ser exterioriza o contato de sua maneira, sendo seu maior aspecto aquele que sem interferências externas, ele pode através da autenticidade de sua alma revelar. Quanto mais essa fonte brota, mais próximo à realidade o ser se encontra e o contato torna-se mais real.

  A pureza que se encontra no reino vegetal os faz entregarem sua maior criação, os frutos, as flores, o próprio corpo, para servir a outros reinos, sem apegos ou restrições. Tudo é doado com graça e se dá o melhor de si.

  Também o reino animal oferta-se em serventia e submissão, sem mácula. Internamente sabe que sua tarefa requer de si o propósito Divino que a Graça Maior incutiu em seu roteiro de evolução. Abrange todo esse contato através da pureza de sua entrega, não importando se o caminho será árduo ou feliz. Tanto em dias de sol como na tempestade, segue seu trajeto levado pela indicação que os guia e com humildade traz as lições que devem ser entregues ao destinatário, que nem sempre percebe tal grandeza de informação.

  O reino humano é a reunião de toda a Graça que a Força Divina emprega, para os limites que a freqüência vibratória do plano físico permite receber.

  Os fluídos empregados em reinos inferiores ao humano são segregados e o fluxo enviado para consciência que recebe e os armazena para que em dosagens ínfimas, essas informações possam fazer com que a alma cresça e caminhe com a consciência a cada dia mais aberta, sabendo que sua vinda na superfície deste plano não é estar envolvido com tarefas do quotidiano e sim a cada período, abrir-se para seu planejamento de vida, servindo cada vez mais ao seu Criador.

  O propósito do ser encarnado deveria ser entendido como se ele fosse o dono de uma grande fazenda, onde a interação com seus irmãos mais novos, as águas, as pedras, as flores, as árvores, os animais... enfim a natureza é o que o faz crescer, porém sem exploração monetária.

  A força que move esta roda da vida abriga todos que são Sua Criação e soberano que é compreende a limitação de cada um de seus filhos; porém, sabendo da responsabilidade de que cria para a “vida”, não interferi jamais no livre-arbítrio de cada um.

  Que essa força permeie vossos corações, abrindo caminhos para a compreensão maior.


EFRAIM-Uma consciência intraterrena de Davhana

Canal - José Roberto Gomes

voltar