voltar

AMOR PRÓPRIO

  A falta de auto-estima é um fator preponderante na vida do ser que vive em estado de tristeza e depressão.

  Estima-se que 70% da população encarnada nesse planeta, não se estimam a si próprio. Há sempre um argumento de reclamação contra a natureza criadora, diante de pequenos e insignificantes defeitos, que na maioria das vezes são criados pela própria imaginação ou por passagens de vidas pregressas.

  Nem sempre há a visão mais aberta para o fato que se defeitos são encontrados, os trabalhos para a sua recuperação deve ser executado o mais breve possível, pois se enraizado nos confins da alma, pode certamente, tornar-se uma tendência à depressão, à injúria, ao vício, a auto retaliação, etc.

  Esses são estados do espírito que somente a transformação, a mudança do comportamento, a reflexão, a persistência em querer melhorar, podem levar a cura.

  Fatos acontecem na vida do ser evidenciando essas tendências, para que numa visão mais apurada, possa “sentir” que algo está errado. Às vezes isso acontece como uma fase muito ruim e a dor se instala como lenitivo, remédio amargo que levanta o paciente da cama para uma recuperação mais rápida.

  No estado de convalescença, a reflexão faz uma análise global da situação atual e envia mensagens “intuitivas” ao ser, tentando corrigir o caminho até então tomado. Flashs do acontecimento são retornados pelo subconsciente, no intuito da mudança reflexiva, porém se isso não é relevado pela consciência em exercício, as fases mais agudas são prolongadas, devido ao abandono a caminhos que o poderiam levar a pousadas mais tranqüilas.

  As atribulações e vicissitudes da vida são inerentes às decisões de cada um e opções são feitas através de nenhum critério consciencioso.

  Geralmente o mundo da forma (matéria) tem participação primordial nas decisões tomadas.

  Quase sempre a ambição é o fator “10” de peso em “necessidades básicas”, onde a luxúria e a ostentação são predicados preponderantes para o que se vai fazer, sem se pensar nas conseqüências que isso pode tomar. Com certeza os resultados podem e geralmente o são catastróficos e dificuldades financeiras, caos social, doenças psicossomáticas são alguns deles.

  Fases difíceis de indeterminado tempo de duração podem acontecer na vida do ser e estados de desânimo, depressão são contribuintes para a falta de amor próprio. Baixas na auto-estima são características da insatisfação do indivíduo, em relação à situação que está vivendo.

  Somente um processo de auto-análise vai trazer resultados mais positivos, pois quanto mais a mente se desenvolve, mais a visão se abre diante de novas situações e decisões a serem tomadas.

  Através do autoconhecimento é que a intuição começa a ser percebida e o que antes não era possível ser reconhecido, agora se descortina com maior clareza e dias de sol começam a raiar, trazendo paz, harmonia e a auto-estima ganha um valor especial, fazendo com que a alegria e o otimismo, sejam os predicados irradiantes, como um cartão de visita para a apresentação de mais uma alma a caminho da iluminação.


LUCIAN - Uma consciência de Sírius

Canal - José Roberto Gomes

voltar